Acessibilidade A+ A-
Pinheiro Machado, 18 de novembro de 2018.
Fale conosco
Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber informações.

Agenda
20 Novembro Homenagem à Brigada Militar
27 Novembro Plenária do Estudante "Vereador Mirim"
Veja todos eventos
Multimídia

Notícias

Vereadores participam de ato que pretende investir R$ 1 bilhão em Pinheiro Machado
05/07/2018

Um novo empreendimento para geração de energia sustentável a partir do uso de biomassa deve gerar emprego e renda na Campanha gaúcha. O governador José Ivo Sartori entregou, ontem, licença prévia emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) para a empresa que vai se instalar no município de Pinheiro Machado. O documento, que atesta a viabilidade ambiental do projeto, deu entrada no sistema online de licenciamento ambiental há menos de seis meses.


O empreendimento da empresa Pellco prevê investimento de R$ 1 bilhão, com a participação de empresas nacionais e estrangeiras. A produção consiste na fabricação de pellets em madeira e a cogeração de eletricidade a partir de biomassa (toras moídas, cascas/galhos e feixes de árvores e casca de arroz), visando uma capacidade mensal de produção de 75 mil toneladas de pellets e cogeração de 50 megawatts (MW) de energia elétrica. A área a ser construída será superior a 112 mil metros quadrados. O pellet deve ser exportado para países como Japão e Estados Unidos, para ser queimado em caldeiras de usinas.


O presidente da Pellco Brasil, Luiz Eduardo Batalha, afirmou que a empresa já trabalha há dois anos e meio no projeto e a estimativa é de que serão criados 1,5 mil empregos diretos na fase de construção, e mais 1,2 mil para o funcionamento da indústria. “Temos 45 anos de agronegócio, somos uma empresa que se mantém com um trabalho de qualidade e coragem. Ninguém pode competir com a gente no campo florestal, temos gente de muita competência que sabe muito sobre madeira. E, para se ter uma ideia, o pellet é uma energia limpa e renovável que pode limpar a poluição que 5 bilhões de toneladas de carvão por ano dissipam no mundo. De pellets, apenas 27 milhões de toneladas são produzidos atualmente. Então, vamos partir tranquilamente em um mercado que vai fazer com que puxe toda essa sujeira. A gente tem muito a crescer, agradecemos a oportunidade de investir no Rio Grande do Sul”, disse.


O processo para licenciamento deu entrada na Fepam no dia 31 de janeiro deste ano e foi analisado no Relatório Ambiental Simplificado, seguindo as premissas da Resolução Conama 279/2001, para empreendimentos de geração termoelétrica com impacto ambiental de pequeno porte. O projeto da Pellco deve beneficiar também a linha férrea da região, que pode ser reformada se aprovado o projeto.

*Informações do Jornal Minuano (Bagé/RS)

.
Voltar